Portal Educação: Parceria que capacita!

Curso online de Educação Infantil (Teorias e práticas pedagógicas)

Leiturinha: parceria que encanta!

Avaliação da Aprendizagem Matemática

A avaliação da Aprendizagem Matemática


Atualmente as escolas, na sua grande maioria, possuem uma política de avaliação de rendimento escolar centrada por assim dizer, na dicotomia aprovação/reprovação. Neste contexto, não há espaço para uma prática de avaliação, que ajude na identificação de superação de dificuldades no processo de ensino e aprendizagem, tanto do aluno como do professor.

A avaliação na maioria das nossas escolas, públicas ou não, é eminentemente somativa, sempre preocupada com os resultados finais que levam a situações irreversíveis no que diz respeito ao desempenho dos alunos, sem que sejam levadas em contas a muitas implicações, inclusive sociais, de um processo decisório fatal do ponto de vista educativo.

Avaliar a aprendizagem corresponde a uma necessidade social. A escola recebe o mandato social de educar as novas gerações e por isso, deve responder por esse mandato, obtendo dos seus educandos a manifestação de suas condutas aprendidas e desenvolvidas“ (LUCKESI, p.174,2002).

Nos valendo das idéias de Piaget (1991) que considera que a escola e alguns professores têm retirado a autonomia do aluno como meio para desenvolver a aprendizagem com maior eficiência e criatividade. Segundo ele, os professores com atitudes negativas não encorajam os alunos a desenvolverem e a atingirem a esta autonomia, limitando muito o desenvolvimento do pensamento crítico, isto, os professores com atitudes negativas dão oportunidade aos alunos de persistirem em seus próprios esforços. Portanto, é de fundamental importância que as escolas desenvolvam programas que ajudem não apenas o aluno, mas também os professores a desenvolver atitudes favoráveis em relação a aprendizagem matemática.

É Fundamental ver o aluno como um ser social e político sujeito de seu próprio desenvolvimento. O professor não precisa mudar suas técnicas, seus métodos de trabalhos; precisa sim, ver o aluno como alguém capaz de estabelecer uma relação cognitiva e efetiva, mantendo uma ação interativa capaz de uma transformação libertadora, que propicia uma vivencia harmoniosa com a realidade pessoal e social que o envolve.

Assim, compreendemos que o professor que leciona matemática nas séries iniciais do Ensino Fundamental deve agir sempre como facilitador, aquele que ajuda o aluno a superar seus limites. Valendo-se de atividades e avaliações criativas que permita ao seu aluno construir a aprendizagem de forma significativa, ou seja, que o faça interagir conhecimento escolar com o meio social no qual está inserido.
Artigo retirado do site:

5 Comentários:

Lenira, Deolinda, Claudiane, Vanda disse...

Olá! amiga blogueira, como sempre voce acerta em cheio nas suas postagens. Muito, muito boa mesmo para abrirmos reflexões sobre o tema.
Abraços das
Alfabetizadoras em foco

Kelly disse...

olá querida, mais uma vez ta super show seu blogger, sempre que posso visito e comento, nunca deixo de comentar...beijosss parabens
ps: tava querendo um post sobre uma historinha para trabalhar o tema dia e noite

Jenny Horta disse...

Super legal esse espaço Tatiana! Trabalho com informática educativa na pre escola e alfabetização numa pequena escola e você tem ótimas dicas.
Voltarei sempre

Elaine disse...

Parabéns....muito lindo e criativo seu trabalho!!!bjos

LORETA disse...

olá, gostaria de comprar seu cd de atividades, mas não consigo entrar no seu site, por favor entre em contato comigo meu e-mail é loretaalves@hotmail.com, obrigada desde já, eu adoro seu blog.