Portal Educação: Parceria que capacita!

Curso online de Educação Infantil (Teorias e práticas pedagógicas)

Datas comemorativas




Textos para os alunos



Páscoa Cristã



A Páscoa Cristã é uma das festividades mais importantes para o cristianismo, pois representa a ressurreição de Jesus Cristo, o filho de Deus.  

A data é comemorada anualmente no primeiro domingo após a primeira lua cheia que ocorre no início da primavera (no Hemisfério Norte) e do outono (no Hemisfério Sul). A data é sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

Durante os 40 dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa - período conhecido como Quaresma - os cristãos se dedicam à penitência para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz.

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas da palmeira, para comemorar a sua chegada.

A Sexta Feira Santa é o dia em que os cristãos celebram a morte de Jesus na cruz. E por fim, com a chegada do Domingo de Páscoa, os cristãos celebram a Ressurreição de Cristo e a sua primeira aparição entre os seus discípulos.

A Páscoa já era comemorada antes do surgimento do Cristianismo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito, que durou aproximadamente 400 anos.

Segundo a Bíblia, supostamente Jesus teria participado de várias celebrações pascais. Quando tinha doze anos de idade foi levado pela primeira vez pelos seus pais, José e Maria, para comemorar a Páscoa, conforme narram algumas das histórias do Novo Testamento da Bíblia.

A mais famosa participação relatada na bíblia foi a "Última Ceia", onde Jesus e os seus discípulos fizeram a "comunhão do corpo e do sangue", simbolizados pelo pão e pelo vinho.

Segundo a Bíblia, supostamente Jesus teria participado de várias celebrações pascais. Quando tinha doze anos de idade foi levado pela primeira vez pelos seus pais, José e Maria, para comemorar a Páscoa, conforme narram algumas das histórias do Novo Testamento da Bíblia.

A mais famosa participação relatada na bíblia foi a "Última Ceia", onde Jesus e os seus discípulos fizeram a "comunhão do corpo e do sangue", simbolizados pelo pão e pelo vinho.

O que são os Símbolos da Páscoa?

Os Símbolos da Páscoa são representações que fazem parte dos rituais da Semana Santa.

A Páscoa é uma festividade importante para os cristãos, pois celebra a morte e ressurreição de Jesus Cristo, um episódio bíblico interpretado como a passagem para novos tempos e novas esperanças para a humanidade.

A Páscoa é comemorada em data móvel, sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.

A Páscoa para os judeus - Pessach (“passar além”, na tradução do hebraico) é comemorada pela conquista da liberdade pelos hebreus, que viviam como escravos no Egito, simbolizando o retorno à vida digna.

Essa libertação coincidiu com o início da primavera, assim fundiram-se numa só festa, a renovação da natureza e o renascimento de Israel, como eram chamados os hebreus.

Os rituais que precedem a Semana Santa começam 40 dias antes da Páscoa, período conhecido por "Quaresma" - quando os cristãos se dedicam à penitencia do jejum, para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e também o sofrimento que ele suportou na crucificação.

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, onde a estrada era enfeitada com folhas da palmeira.

A Sexta Feira é o dia da celebração da morte de Jesus na Cruz. O Sábado de Aleluia é o dia da celebração da missa da meia noite, na passagem para o Domingo da Ressurreição.

No domingo é celebrada a Páscoa - o Domingo de Páscoa, o dia da Ressurreição de Jesus e sua primeira aparição para seus discípulos.

Durante a Semana Santa, vários símbolos fazem parte do ritual das comemorações, entre eles:
Os ramos de palmeira

A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas de palmeira, para comemorar sua chegada.
Atualmente, as folhas de palmeiras são usadas na decoração das Igrejas durante as comemorações da Semana Santa, como um sinal de “boas-vindas a Cristo”.


Cordeiro


Este é um dos símbolos mais antigos da Páscoa, lembrando a aliança que Deus teria feito com o povo judeu no Antigo Testamento.
Naquela época, a Páscoa era celebrada com o sacrifício de um cordeiro.
Para os cristãos, Jesus Cristo é o “cordeiro de Deus que tirou os pecados do mundo”.



Círio Pascal 

O Círio Pascal é uma grande vela, decorada com as letras gregas alfa e ômega, que significam “início” e “fim”, respectivamente, e usada durante as missas da Semana Santa.

Durante a Vigília Pascal é inserido na vela os cinco pontos das chagas de Cristo na cruz.
É acesa no Sábado de Aleluia e sua Luz representa a Ressurreição de Cristo.

O Peixe 

O peixe é um símbolo trazido dos apóstolos que eram pescadores.



É um símbolo de vida, usado pelos primeiros cristãos, no acróstico IXTUS - peixe em grego. 

As letras são as iniciais de "Iesus Xristos Theos Huios, Sopter", que significa "Jesus Cristo, Filho de Deus, o Salvador".

Faz parte do ritual da Semana Santa comer peixe na Sexta Feira Santa, para lembrar o ritual dos 40 dias de jejum de carne, seguidos pelos cristãos durante a Quaresma.


Ovo de Páscoa 

Por representar o nascimento e a vida, presentear com ovos era um costume antigo entre os povos do Mediterrâneo.

Durante as festividades para comemorar o início da primavera e a época de plantio, os ovos eram cozidos, pintados e presenteados, para representar a fertilidade e a vida.

O costume passou a ser seguido durante as festividades dos cristãos, onde eram pintados com imagens de Jesus e Maria, representando simbolicamente o nascimento do Messias.

Muitas culturas mantêm até hoje esse costume. No mundo moderno, o ovo fabricado com chocolate virou uma tradição de presente no Domingo de Páscoa. 


Coelho de Páscoa 



O coelho de Páscoa tornou-se o símbolo da fertilidade e da vida, devido a particularidade deste animal de se reproduzir em grandes ninhadas.

Está relacionado com a Páscoa por representar a esperança de vida na Ressurreição de Jesus Cristo.

Vários povos da antiguidade já consideravam o coelho como símbolo da fertilidade, pois com a chegada da primavera, eram os primeiros animais a saírem de suas tocas.

Com o passar dos tempos, os coelhinhos de chocolate entraram para os costumes das festividades da Semana da Páscoa.

Assim como os ovos de chocolate, os coelhinhos viraram tradição de presente no Domingo de Páscoa.

História em quadrinhos estimula o hábito da leitura

O ato de folhear um gibi e acompanhar os diálogos e ilustrações é um dos principais estímulos à leitura na infância.

                                                                                                   Foto: Corbis

No atual mundo audiovisual, é cada vez mais difícil criar o gosto pela leitura nos jovens. As editoras, contudo, encontraram um formato que carrega a informação de uma maneira mais prazerosa e interessante que um livro sem figuras. São as histórias em quadrinhos educativas, que têm recebido novas adaptações de grandes clássicos com freqüência, crescido no mercado editorial e ganhado as salas de aulas.

Por mais que a tecnologia evolua, o bom e velho gibi continua agradando pessoas de todas as idades. Isto porque as histórias em quadrinhos impressas continuam sendo uma ótima fonte de entretenimento, além de estimularem o hábito da leitura, mesmo com tantos recursos disponíveis atualmente. Ou seja, apesar do acesso facilitado aos conteúdos digitais pela internet, ainda há espaço para cultivar antigos e prazerosos costumes, como o de folhear as páginas de um livro.
Vale frisar que a leitura é o ponto de partida para o desenvolvimento de inúmeras habilidades e, segundo o MEC Ministério da Educação e Cultura - representa a principal fonte de conhecimento, especialmente na infância. É por isso que pais e educadores devem facilitar esse acesso aos livros e uma das maneiras mais divertidas e agradáveis de fazer isso é inserindo as HQs impressas no dia a dia dos pequenos.
Devido à sua linguagem simples e ao dinamismo proporcionado pelas ilustrações, os gibis são atraentes para o público infantil, que rapidamente compreende que a fala das personagens está nos "balões". Aí está o começo de uma relação de curiosidade, afeto e aprendizado. Muitas crianças aprendem ou aprimoram a leitura nas frases simples e breves dos quadrinhos, como os da Turma da Mônica. De acordo com artigo da revista Língua Portuguesa (UOL), os gibis são capazes de incentivar o amadurecimento intelectual da criança, abrindo portas para os livros.
Entre as inúmeras vantagens de inserir as histórias em quadrinho na vida da criança, está a possibilidade de ela interagir com os colegas durante a leitura, trocar, emprestar ou fazer uma leitura em conjunto. Além disso, os gibis são democráticos: qualquer pessoa pode ter acesso a eles, inclusive em comunidades mais carentes onde o computador não chega.

Como estimular a leitura através dos impressos
De acordo com Marcello Barra, professor do Centro de Sociologia da UFPE Universidade Federal de Pernambuco, o conteúdo impresso é fundamental na formação das crianças, pois promove uma leitura concentrada e permite o aprofundamento do saber. No caso das mídias eletrônicas, existe a possibilidade de se buscar novas fontes e informações diversificadas, o que distrai muito mais o leitor. Segundo ele, não se trata de encontrar o jeito certo e o errado, pois ambos são complementares. No entanto, o ideal é que a criança absorva os benefícios do livro impresso antes de integrar a cultura digital.
Livrarias e bibliotecas podem ser ambientes muito interessantes para os pequenos hoje em dia, pois oferecem espaços confortáveis para leitura e conversação. Existem também locais específicos para gibis são as gibitecas. Na capital paulistana, por exemplo, as HQs ganharam um espaço diferenciado no Centro Cultural São Paulo: a Gibiteca Henfil conta com um acervo de 10 mil títulos e abre todos os dias para visitação. A dica é dar à criança a oportunidade de ver de perto uma estante cheia de livros, tocar neles e estabelecer seus próprios critérios de escolha, virar as páginas, curtir o colorido das capas, etc.
Outro estímulo importante é aquele que começa bem cedo: deixe os livrinhos infantis e gibis sempre expostos ao alcance da criança. Você pode permitir que ela invente as próprias histórias a partir das ilustrações. Assim, no futuro, o livro será como um brinquedo, uma diversão jamais uma obrigação.
Por fim, contar histórias e ler para as crianças continua sendo uma das maneiras mais simples de estimular a leitura de impressos. Sendo assim, pais e educadores devem reservar alguns minutos do dia para se dedicar a esse hábito, que é fundamental para o desenvolvimento dos pequenos.